AO VIVO
Auto Programação
Liberal FM

FONE LIBERAL

WHATSAPP LIBERAL

BAIXE NOSSO APP

MÍDIAS SOCIAIS

Imagem de Monteiro Lobato é pichada em Adamantina e município aciona a polícia | Presidente Prudente e Região


O prédio da Biblioteca Municipal “Jurema Citeli”, em Adamantina (SP), foi alvo de pichação. Conforme a Secretaria de Cultura e Turismo do município, o dano foi feito no grafite em homenagem ao escritor brasileiro Monteiro Lobato.

Ainda conforme a pasta, em cima da imagem foram escritas palavras de “ódio e extremismo”.

“As devidas providências estão sendo tomadas juntamente com a Polícia Civil para a identificação dos autores”, pontuou a pasta municipal.

Imagem de Monteiro Lobato, na Biblioteca Municipal de Adamantina, foi alvo de pichação — Foto: Secretaria de Cultura e Turismo/Divulgação

Imagem de Monteiro Lobato, na Biblioteca Municipal de Adamantina, foi alvo de pichação — Foto: Secretaria de Cultura e Turismo/Divulgação

A Secretaria de Cultura e Turismo ainda salientou que realiza desde janeiro de 2021 “diversas ações justamente para combater, através da arte da cultura, atos de extremismo, racismo, preconceitos e tantos outros já não cabíveis em uma sociedade que deseja amenizar o abismo social existente em nosso país”.

“A discussão nacional sobre a pessoa de Monteiro Lobato (inclusive no STF) não apaga sua genialidade e o que ele significa para a literatura infantil brasileira. Pichar e degradar prédios e o trabalho de um artista (grafiteiro) local, que tiveram investimentos de dinheiro público, com certeza não é o caminho para que possamos colocar em discussão temas tão importantes”, explicou a pasta municipal.

Imagem de Monteiro Lobato fica junto ao prédio da Biblioteca Municipal "Jurema Citeli", em Adamantina, — Foto: Secretaria de Cultura e Turismo/Divulgação

Imagem de Monteiro Lobato fica junto ao prédio da Biblioteca Municipal “Jurema Citeli”, em Adamantina, — Foto: Secretaria de Cultura e Turismo/Divulgação

O racismo na obra infantil de Monteiro Lobato chegou até o Supremo Tribunal Federal (STF). A história começou em 2010, quando o Conselho Nacional de Educação (CNE) determinou que o livro Caçadas de Pedrinho não fosse mais disponibilizado às escolas do sistema público, por conta do conteúdo racista. “Tia Nastácia, esquecida dos seus numerosos reumatismos, trepou, que nem uma macaca de carvão” e “Não vai escapar ninguém — nem Tia Nastácia, que tem carne preta” foram trechos utilizados para justificar a medida.

Diante de recurso do Ministério da Educação, o caso chegou ao STF e só foi encerrado em 22 de maio de 2020, mas sem julgar o mérito.

“O STF entendeu que não lhe cabia analisar o assunto, pois o que se estava impugnando era o ato de homologação, pelo Ministro da Educação, desses pareceres. Mas o STF não tem competência originária para julgar mandados de segurança contra atos de ministros de Estado”, explica o jurista Carlos Ari Sundfeld.

Imagem de Monteiro Lobato, na Biblioteca Municipal de Adamantina, foi alvo de pichação — Foto: Secretaria de Cultura e Turismo/Divulgação

Imagem de Monteiro Lobato, na Biblioteca Municipal de Adamantina, foi alvo de pichação — Foto: Secretaria de Cultura e Turismo/Divulgação

  • A frustrada tentativa de Monteiro Lobato em ganhar mercado nos EUA com livro considerado racista



Fonte: G1

FACEBOOK

Contato Ouvinte:
(18) 3822-1218
(18) 99668-9200 (Whatsapp)
liberalfm@liberalfm.com.br

Contato Comercial:
(18) 3821-4340
luisjacon@liberalfm.com.br
luisjacon@hotmail.com

Onde Estamos:
Rua Monte Castelo, 941 – Centro,
Dracena – SP, CEP: 17900-000.

BAIXE NOSSO APP

MÍDIAS SOCIAIS

Liberal FM - Todos os Direitos Reservados.