AO VIVO
Auto Programação
Liberal FM

FONE LIBERAL

WHATSAPP LIBERAL

BAIXE NOSSO APP

MÍDIAS SOCIAIS

Jardim Botânico do Rio reabre bromeliário, após nove meses em obras


 O bromeliário do Jardim Botânico do Rio de JAneiro (JBRJ) reabriu nesta segunda-feira (17), depois de permanecer fechado por nove meses para execução de obras, nas quais foram investidos cerca de R$ 179 mil. Entre outras intervenções, foram feitas a recuperação do telhado e a reforma do gradil situado no entorno da unidade.

O acervo é composto por 15.180 exemplares. Segundo informou à Agência Brasil o coordenador de Coleção Viva do JBRJ, Marcus Nadruz, o acervo foi formado a partir de coletas de pesquisadores e expedições científicas do Jardim Botânico e outras instituições. “A gente costuma realizar expedições para fazer inventários de locais que têm poucos registros botânicos e acaba encontrando essas espécies, às vezes em flor, traz para a coleção, identifica e chega à conclusão que pode ser uma espécie ameaçada de extinção.”

A coleção científica tem 2.167 espécimes, ou indivíduos, de 704 espécies, das quais 96 são ameaçadas de extinção. Elas são originárias de diversos biomas brasileiros, como a Mata Atlântica e o Cerrado, além de exemplares de outros países da América do Sul e Central.

Rio de Janeiro (RJ) - Fechado há nove meses para execução de obras, o Bromeliário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro reabre para visitação nesta segunda-feira (17/4). Foram investidos aproximadamente R$ 179 mil na recuperação do telhado, entre outras intervenções. A reabertura acontece numa data comemorativa especial para o JBRJ: o Dia Nacional da Botânica!
Foto: DivulgaçãoRio de Janeiro (RJ) - Fechado há nove meses para execução de obras, o Bromeliário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro reabre para visitação nesta segunda-feira (17/4). Foram investidos aproximadamente R$ 179 mil na recuperação do telhado, entre outras intervenções. A reabertura acontece numa data comemorativa especial para o JBRJ: o Dia Nacional da Botânica!
Foto: Divulgação

Bromeliário do Jardim Botânico do Rio ficou nove meses para execução de obras – Divulgação

A ênfase é na conservação ex situ (fora do ambiente natural) de espécies endêmicas, raras ou ameaçadas de extinção, elevando a coleção e, consequentemente, o Jardim Botânico do Rio, ao status de centro de referência mundial na conservação da família Bromeliaceae.

Distribuição

Rio de Janeiro (RJ) - Fechado há nove meses para execução de obras, o Bromeliário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro reabre para visitação nesta segunda-feira (17/4). Foram investidos aproximadamente R$ 179 mil na recuperação do telhado, entre outras intervenções. A reabertura acontece numa data comemorativa especial para o JBRJ: o Dia Nacional da Botânica!
Foto: DivulgaçãoRio de Janeiro (RJ) - Fechado há nove meses para execução de obras, o Bromeliário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro reabre para visitação nesta segunda-feira (17/4). Foram investidos aproximadamente R$ 179 mil na recuperação do telhado, entre outras intervenções. A reabertura acontece numa data comemorativa especial para o JBRJ: o Dia Nacional da Botânica!
Foto: Divulgação

Bromeliário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro reabre para visitação nesta segunda-feira – Divulgação

As bromélias estão distribuídas em dois grandes espaços de cultivo: a estufa Burle Marx, que é o bromeliário para visitação, e o Dimitri Sucre, espaço fechado ao público, onde se encontra a coleção científica, cujas espécimes em floração ou frutificação são, muitas vezes, objeto de pesquisa. Segundo o coordenador de Coleção Viva, há espécies também consideradas novas para a ciência, “que você tem que manter separadas, justamente para acompanhar o desenvolvimento, fazer descrição da planta para depois publicar.” “Ou são espécies que chegam e estão em um estado muito ruim. Então, ficam em quarentena para recuperar”, acrescentou.

Marcus Nadruz informou que muitas bromélias estão presentes também em diversos canteiros no arboreto, seja na forma de epífitas, que se desenvolvem sobre árvores e palmeiras, como introduzidas a partir de excedentes clonais da coleção científica.

Visitação

Não haverá alteração para a visitação do público à estufa Burle Marx, disse Nadruz. “Tem sempre dois atendentes na estufa para orientar os visitantes, solicitar que não toquem nas bromélias. Mas a visitação é normal. As pessoas entram, visitam, sem problema nenhum”. As visitas podem ser feitas diariamente, à exceção das quartas-feiras, quando o Jardim Botânico é fechado para manutenção, retirada de galhos caídos e de colmeias de abelhas, por exemplo.

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro guarda uma coleção de bromélias entre as plantas de seu acervo há mais de 100 anos. Antigos botânicos da instituição, como João Geraldo Kuhlmann, já coletavam essas espécies para pesquisa. Em 1975, o então diretor da instituição, Raulino Reitz, especialista em Bromeliaceae, inaugurou o Bromeliário Ecológico do local. No evento, foi fundada a Sociedade Brasileira de Bromélias. Já a estufa Burle Marx foi inaugurada em 1996. 



Fonte: Agência Brasil

FACEBOOK

Contato Ouvinte:
(18) 3822-1218
(18) 99668-9200 (Whatsapp)
[email protected]

Contato Comercial:
(18) 3821-4340
[email protected]
[email protected]

Onde Estamos:
Rua Monte Castelo, 941 – Centro,
Dracena – SP, CEP: 17900-000.

BAIXE NOSSO APP

MÍDIAS SOCIAIS

Liberal FM - Todos os Direitos Reservados.